quinta-feira, 2 de julho de 2020
29/05/2020

Mesmo com sintomas da COVID 19, comerciário relata que teve de continuar trabalhando no Atacadão, em Patos


Nesta quarta-feira, dia 27, a reportagem foi procurada por um trabalhador do Atacadão, empresa do Grupo Carrefour, que tem loja na cidade de Patos. O comerciário disse, de forma angustiada, que não pode se identificar para não perder o emprego, porém, gostaria de relatar uma situação enfrentada na empresa diante da pandemia do novo coronavírus, COVID – 19.

O comerciário disse que teve sintomas da COVID – 19, comunicou ao setor competente e mesmo assim não permitiram que ele ficasse de quarentena, pois os sintomas eram leves. O trabalhador desabafou que todos que tiveram sintomas leves suspeitos de COVID – 19 permaneceram trabalhando. Apenas os com sintomas mais severos foram afastados temporariamente para tratamento.

Um trabalhador que testou positivo para COVID – 19 ficou alguns dias trabalhando e isso causou problemas de relacionamento. Os colegas reclamaram que o amigo poderia ter sido afastado desde que apresentou os sintomas, no entanto, a empresa protelou e o contaminado pode ter passado a doença para outros trabalhadores e até clientes do Atacadão.

“Os que tinham convenio médico e sintomas maiores da COVID – 19 foram afastados, mas os outros que não tinham convenio e os sintomas eram leves ficaram trabalhando. Avisei para meus familiares o que estava acontecendo e tomei precauções. Fiquei com medo de passar a doença para meus pais e meus amigos. Hoje estou bem e nem sei se tive mesmo essa doença, pois nem teste consegui fazer. Não deram assistência”, relatou o comerciário.

A reportagem fez contato com o Atacadão em Patos. A funcionária do setor de Recursos Humanos disse que a resposta seria dada pela assessoria de comunicação da empresa. Na quarta-feira, dia 27, através de mensagem em WhatsApp, uma assessora de comunicação identificada por Louise, de São Paulo, pediu para enviar e-mail com o assunto para a resposta, pois iria apurar o ocorrido. No mesmo dia a reportagem do Patosonline.com enviou o e-mail, porém, não recebeu resposta por tal meio.

Na noite desta quinta-feira, dia 28, a assessora ligou e disse que tais fatos não procedem e que todos os funcionários que apresentaram sintomas receberam a atenção devida.

O caso foi comunicado a Secretaria de Vigilância Sanitária do Município de Patos. O chefe da Vigilância, João Paulo Lacerda, relatou que fará uma visita ao Atacadão com a equipe do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (CEREST). “Trabalhadores que apresentarem sintomas gripais, neste momento de pandemia, devem ser colocados em quarentena. Iremos averiguar o caso”, disse João Paulo.

Portalpatos

Fonte: Patosonline

Por Jozivan Antero

portalpatos